DEDICATÓRIA

 

Um Povo só é grande quando tem história.

A Póvoa tem uma bonita história:

a riqueza e a pureza do seu povo.

Este foi o blog que construí para divulgar a tenacidade,

a luta, a inteligência e a honestidade do meu pai.

Graças a Deus ainda está lucidamente activo e vivo!

A sua memória é fantástica.

Amo muito o meu pai e se poeta sou a ele o devo.

José Augusto Simões Faleceu com 94 anos,

nasceu em 20 de Maio de 1922 e faleceu a 17 de Agosto de 2016

Esta é a homenagem e o agradecimento

 que presto a tão grande homem.

Seu filho

Rogério Martins Simões

Terça-feira, 26 de Maio de 2015

Perdi-me na floresta

IM030508.JPG

 

 

 

PERDI-ME NA FLORESTA

José Augusto Simões

 

Entrei um dia numa floresta

Para ver as árvores floridas

Acabei por fazer a sesta

Depois de tantas fadigas.

 

Assim de tanto eu andar

No meio daquele arvoredo

Deitei-me a descansar

E comecei a sentir medo.

 

Já não sabia onde estava.

Não reparei no caminho.

Queria ver o que gostava,

Mas estava ali sozinho.

 

A noite estava a chegar,

Não sabia por onde sair,

Estava quase a chorar,

Não sabia onde dormir.

 

Depois de tanto pensar

Uma voz perto me disse

- Eu te irei ajudar

Não caías noutra tolice.

 

Apareceu uma velhinha

Que a sorrir mais falou:

A floresta é toda minha,

Mas, não te digo quem sou.

 

Foi num dia de primavera,

Recordo-me de a ver sorrir.

Nunca soube quem ela era,

E eu não estava a dormir…

 

Lisboa, 6 de agosto de 2013

 

publicado por poetaromasi às 21:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

Todos os poemas escritos e publicados neste blog

da autoria de Rogério Martins Simões,

ou sob pseudónimo, ROMASI,

estão devidamente protegidos pelos direitos de autor.

(Registados no Ministério da Cultura

- Inspecção-Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. –

Processo n.º 2079/09)






Memórias e poesia de um Beirão

nascido em Maio de 1922.

.Poesia e muita sabedoria de um poeta serrano com 91 anos



Obrigado pela visita ao blog do meu pai,

homem notável, impedido de estudar

por ter ficado órfão de pai e mãe aos 14 anos.

A sua memória é notável

sabe de tudo

é uma casa cheia!

Viva a poesia.

e se a vida não nos conhecer

porque nos esqueceu,

lembremos à vida que existimos e vivemos.

Obriga meu querido pai

por me ter ensinado

a escrever poesia

Seu filho, vosso filho

Rogério Martins Simões



.posts recentes

. Perdi-me na floresta

.arquivos

.pesquisar